Doclisboa: perceber o mundo sem tabus e sem sair do lugar

Hagna Dutra

A 12ª edição do Doclisboa terminou e o que permanece destes 10 dias de festival é a enorme satisfação, inspiração e vontade de arriscar um pouco mais no que diz respeito à imagem em movimento e representação parcial e subjetiva da realidade. Vi a maioria das Longas-Metragens, quer da competição internacional, quer da portuguesa e partilho as minhas preferências antes de vos apresentar os grandes vencedores.

 

 

Branco Sai Preto Fica viaja até uma Brasília dos anos 80 de ações racistas, territoriais e de crimes contra a “população periférica”, que em tudo destoam do ambiente de baile e folia que o filme documenta, as noites loucas de Ceilândia. A onda rádio difunde a história do ontem pelo intemporal groove onde há testemunhos na primeira pessoa e arquivos mudos que silenciosamente relatam aos nossos ouvidos o que foi Ceilândia. A fotografia, a luz, os planos, a “trilha sonora” e até mesmo as cores, para além de uma enorme qualidade, demonstram uma sensibilidade estética muito apurada, com a qual muito me identifico! 

 

 

Letters To Max define-se através de um estilo mais melancólico e sensorial que nos faz embarcar num outro tipo de batalha, onde pela troca de cartas narradas com doçura, cujo remetente e o destinatário pode ser parte nenhuma, Abecácia, apercebemo-nos de uma realidade tão longínqua e tão próxima da nossa.

 

 

Volta à Terra é poesia pura que retrata a aldeia transmontana Uz e a sua população, suas rotinas e rituais, com os sons e os ares do campo que dançam as quatro estações, permitindo, de forma simples, a proximidade com uma realidade vivida pelos meus avós e bisavós, de que ainda guardo memórias. 

Outros filmes portugueses de que gostei: As Cidade e as Trocas de Luísa Homem e Pedro Pinho, com uma óptima fotografia; a sequência inicial e o “corte e cola” do filme Pára-me de Repente o Pensamento de Jorge Pelicano e A Lã e a Neve, de João Vladimiro pelo retrato do trabalho expressivo corporal e a descoberta da transposição do sentimento individual para o colectivo.

 

E os vencedores:


Prémio Cidade de Lisboa para Melhor Longa-Metragem da Competição Internacional
Fu Yu Zi de Wang Bing

Menção Honrosa 
Il Segreto de Cyop & Kaf

Prémio Especial Doclisboa do Júri da Competição Internacional
Letters To Max de Eric Baudelaire

Prémio Universidades / Prémio Universidade Lusíada para Melhor Longa-Metragem da Competição Internacional
Hit 2 Pass de Kurt Walker

Prémio Liscont para Melhor Longa-Metragem da Competição Portuguesa
Volta à Terra  de João Pedro Plácido 

Prémio Escolas / Prémio IADE para Melhor Longa-Metragem da Competição Portuguesa
Volta à Terra de João Pedro Plácido 

Prémio do Público / Prémio Jornal Público para Melhor Longa-Metragem Portuguesa
Ilusão de Sofia Marques

 

 

No que diz respeito às Curtas-Metragens, a disponibilidade já foi outra e as preferidas foram: Metáfora ou a Tristeza Virada do Avesso de Catarina Vasconcelos e Gangster Backstage de Teboho Edkins. Apesar de serem duas curtas-metragens completamente distintas, qualquer uma delas leva-nos a experienciar os sentimentos originais das personagens envolvidas e, de alguma forma, consegue abanar com o nosso pequeno mundinho preenchido de automatismos e falar-nos diretamente ao coração.

 

Os vencedores: 


Prémio Pixel Bunker para Melhor Curta-Metragem da Competição Internacional
Tôi quên rồi! de Eduardo Williams

Prémio SPA para Melhor Curta-Metragem da Competição Portuguesa
Motu Maeva de Maureen Fazendeiro

 

 

Na secção Investigações os meus filmes de eleição foram: Belluscone. Una Storia Siciliana de Franco Maresco e Songs from the North de Soon-Mi Yoo. O primeiro já foi falado anteriormente e poderão revê-lo aqui. No segundo, tudo o que fiz foi encostar-me à cadeira e sentir o filme e as pessoas, sem tentar compreender ou questionar as razões por detrás de um acentuado culto de personalidade organizado em torno de Kim Il-sung. 

 

Os vencedores: 


Prémio RTP para Melhor Documentário de Investigação
Evaporating Borders de Iva Radivojevic

Prémio Culturgest Primeira Obra / Prémio para Melhor Primeira Obra transversal às Competições e Riscos
Songs from the North de  Soon-Mi Yoo

 

 

O Doclisboa’14 terminou e foi com enorme prazer que presenciei uma das minhas edições preferidas do festival, pela essência e atmosfera das questões abordadas, pela qualidade dos filmes exibidos e a contínua possibilidade de perceber o que acontece no mundo, como outros vivem e pensam, sem tabus e sem sair do meu lugar.
  • VIRAL
    Com o apoio à comunicação da Viral Agenda, lança-se hoje dia 2 de Abril 2020 a RELI — Rede de Livrarias Independentes.
  • VIRAL
    Sabe como categorizar e encaixar os vários tipos de actividades, com exemplos concretos e recomendações para uma boa orientação por esta selva de coisas a acontecer.
  • VIRAL
    Descobre quais as estratégias ninja para publicares na VIRAL AGENDA gratuitamente e aumentares o alcance dos teus eventos.
  • ROTEIRO
    Um relato informado e apurado sobre a edição do NOS Primavera Sound de 2019
  • ROTEIRO
    Não se enganem, falar do Tremor é falar de um festival de música a sério.
  • FENÓMENOS
    Concursos bienais de apoio às artes abrem a 28 de Março, serão distribuídos mais de 18 Milhões de euros.
  • VIRAL
    O Facebook mudou a forma de exportar os eventos para outras plataformas como a VIRAL AGENDA. Descobre como é simples.
  • VIRAL
    Não gostas de publicidade? Compreendemos perfeitamente, mas dá-nos uma atenção, abrindo a excepção.
  • VIRAL
    O Facebook alterou recentemente a política e acesso aos dados, restringindo temporariamente a divulgação de eventos.
  • ROTEIRO
    Actividades de sobra para esta páscoa, especialmente para as crianças e família
  • ROTEIRO
    Revelado o cartaz do Primavera Sound deste ano, aqui fica o relato inédito de Señor Pelota da edição de 2017.
  • ROTEIRO
    Uma exposição de Ivo Purvis sem receita nem prescrição, sem briefing nem cliente.
  • ROTEIRO
    O New Art Fest projecta sobre Lisboa propostas promissoras no campo da cultura digital.
  • ROTEIRO
    Nostalgia, revivalismo e clássicos aos molhes no Teatro Aveirense.
  • ROTEIRO
    Será possível uma cultura alternativa em Aveiro? Com certeza.
  • ROTEIRO
    Actividades para miúdos e graúdos, e uma impressionante selecção musical.
  • ROTEIRO
    Ganha 5 convites duplos para a edição de 2016 do Festival FORTE!!!
  • ROTEIRO
    DJ e radialista, Señor Pelota fala-nos de 3 dias de grande música, sem filas nem atropelos.
  • ROTEIRO
    Uma noite com raízes sonoras em Detroit e os olhos postos no clássico de Kubrick.
  • ROTEIRO
    7 eventos a não perder este fim-de-semana em Lisboa!