Os eventos publicados estão sujeitos a adiamento ou cancelamento devido ao surto de Coronavírus. Recomendamos que confirmem junto dos promotores se estes vão ocorrer.
21:30 até às 23:00
 "Em cada esquina um amigo"

"Em cada esquina um amigo"

Com pouco mais de 4 anos de existência, a “Produções Incêndio” surge para divulgar as artes de forma independente e agenciar e promover artistas, e é esta ousada produtora que cria o espetáculo “Em Cada Esquina um Amigo”.
A sua primeira apresentação ocorre em Lisboa, em 2017, assinalando os 30 anos da morte do cantautor José Afonso, num formato que foge aos tracionais tributos, uma vez que os artistas interpretam temas próprios, também eles cantigas de intervenção.
Ao trazer o espetáculo para Évora, a convite do “Artes à Rua 2019”, para uma atuação a 8 de agosto, na Praça do Giraldo, a produtora introduz como novidade, entre os artistas participantes, Môrus e Filipe Sambado. Esta alteração representa uma estreia de colaboração entre a “Produções Incêndio” e a “Transiberia Mundi”. Uma parceria que dá um novo corpo ao espetáculo, alargando o seu espectro cultural e musical, continuando a preservar o legado de José Afonso.

Em Évora vão estar em palco os seguintes artistas:
21H00 - Poesia de Bolso (Performance)
21H15 - Éme (Concerto)
21H45 - Môrus (Concerto)
22H20 - Primeira Dama + Filipe Sambado (Concerto)
23H20 - B Fachada (Concerto)
00H00 - Allen Halloween (Concerto)

Poesia de Bolso: Constituído por Manuel Seatra e Jorge Barata, esta formação combina três formas de arte: performance, literatura e música. Os dois artistas acompanham com guitarra as palavras roubadas à literatura, num ambiente etéreo. Efeitos de voz e de reconstrução performativa são adicionados a alguns temas de Zeca Afonso.

Éme: João Marcelo, cantautor oriundo de Lisboa, “Éme” no meio como artístico, marca o atual panorama musical português pela sua independência e imprevisibilidade.
Na “Cafetra Records”, editou dois discos, “Último Siso” e “Domingo à tarde”, ambos produzidos por B Fachada e com participações de Miguel Abras, Lourenço Crespo e Júlia Reis, assim como da artista Moxila, que interpreta cavaquinho e flauta no mais recente.

Môrus: Jorge Barata e Alexandre Moniz tornam-se amigos no verão de 2017, quase em simultâneo, a amizade, e o gosto pela guitarra, leva-os a juntarem-se como “Môrus”. Os críticos da especialidade classificam a música que produzem como “rock que contém elementos da tradição rural portuguesa (…)”, em que, uma “ancestralidade rítmica tribal” se transforma numa “força vulcânica”, fazendo-os autores de “um som novo e original”.

Primeira Dama: Manuel Lourenço é “Primeira Dama”, cantor de temas em que cascatas de poemas mergulham em acordes de órgão. Com dois álbuns editados, é considerado na cena musical nacional um talento com um grandioso futuro na música pop.

Filipe Sambado: Cantautor, multi-instrumentalista, produtor e impulsionador de jovens músicos são alguns dos atributos de Filipe Sambado. Começou o seu percurso musical recorrendo a gravações de EP, há cerca de oito anos atrás e, desde então, já editou dois discos, “Vida Salgada”, em 2016, e “Filipe Sambado & Os Acompanhantes de Luxo”, em 2018. Álbum que o público recebeu de braços abertos, considerado o melhor disco nacional do ano por inúmeras rádios, e nomeado para os “Prémios SPA 2019”, na categoria de Música - Melhor Trabalho de Música Popular.

B Fachada: O nome do músico é uma derivação de Bernardo Cruz Fachada, que nasce em 1984 e que, mais tarde, estuda música no Instituto Gregoriano de Lisboa e frequenta a escola do Hot Clube de Portugal, entre outras formações académicas que faz.
Revê-se e revisita poetas e escritores portugueses entre as suas composições musicais. Como cantautor sobressai desde 2007, com um invulgar número de edições, entre formatos físico e digitais e com um vasto domínio em vários instrumentos.

Allen Halloween: Allen Pires Sanhá, nascido na Guiné, é a identidade por detrás de “Allen Halloween”, o irreverente rapper de Odivelas, local onde cresceu.
Alia a sua voz grave a uma métrica descarada, em que canta temas como a violência, a pobreza ou as drogas. Hoje é uma lenda no hip hop português. Entre 1995 e 1996, surge como “Allen Halloween”, mas já antes compunha, música e letras. Todo o seu trabalho, como cantor, autor e produtor é de cariz interventivo e multicultural.


Informações e Contactos | Information and Contacts
Produções Incêndio
m.me/producoesincendio
geral@producoesincendio.pt

Organização: Câmara Municipal de Évora - Festival Artes à Rua 2019


Fonte: http://www.cm-evora.pt/pt/agendacultural/Paginas/Em-cada-esquina-um-amigo.aspx
Recomendamos que confirme toda a informação junto do promotor oficial deste evento. Por favor contacte-nos se detectar que existe alguma informação incorrecta.
Download App iOS
Viral Agenda App
Download App Android