Os eventos publicados estão sujeitos a adiamento ou cancelamento devido ao surto de Coronavírus. Recomendamos que confirmem junto dos promotores se estes vão ocorrer.
17:00 até às 20:00
LIVRO DE VERSOS “ARRAIAL MINHOTO” VAI SER APRESENTADO  NA BIBLIOTECA ...

LIVRO DE VERSOS “ARRAIAL MINHOTO” VAI SER APRESENTADO NA BIBLIOTECA ...

“Arraial Minhoto”, assim se intitula o livro de poesia de José Luiz Caldas, que vai ser lançado, no próximo sábado, dia 7 de março, pelas 17 horas, no auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos.
O autor e a obra serão apresentados por Fernanda Santos, escritora e professora aposentada.
“Ó Minho do meu ser! Ó Alma Portuguesa! / O Som é divinal… A Cor é festejada… / E aprende-se a cantar, mal rompe a madrugada, / E aprende-se a sentir por toda a redondeza.” - assim escreve o autor sobre o “Minho”, poema que abre o livro, um dos 44 poemas que o integra.
José Luiz Caldas foi um advogado, escritor, charadista e político, nascido na freguesia de Guilhadeses, concelho dos Arcos de Valdevez, em 20 de março de 1893.
Licenciou-se em Direito na Universidade de Lisboa, em 22 de novembro de 1921, passando a exercer advocacia, no ano seguinte, em Arcos de Valdevez.
Em 1925, filiou-se no P.R.P. e, no ano seguinte, foi vereador da Câmara Municipal dos Arcos de Valdevez, que foi dissolvida, em maio desse mesmo ano, pela Ditadura Militar.
Foi Vice-Presidente da Direção dos Bombeiros Voluntários dos Arcos de Valdevez e Vice-Presidente da Câmara Municipal dos Arcos de Valdevez, a partir de 1935. Colaborou no fascículo dedicado aos Arcos de Valdevez do “Portugal Monumental e Artístico”.
Foi diretor e presidente da direção do “Grémio Arcoense”.
Iniciou a sua carreira literária aos 15 anos, tendo, em Fevereiro de 1908, começado a manifestar-se a sua “charadomania”, principiando a colaborar na secção charadística, na parte literária de diversas publicações de vários pontos do país, tais como, a “Gargalhada”, de Lisboa, o “Charadista” (depois, “Pérola”), ed Ovar, o “Pagode”, de Portalegre, “O Pimpão”, de Lisboa ou o semanário “Alvorada”, dos Arcos de Valdevez. Usava os pseudónimos de “Rei Pum”, inicialmente, e, depois, “Freidank”.
Foi redator da revista académica de Braga, “O Lusíada”, durante a 3ª Série (1915) e secretária da sua redação (1919) e colaborador da folha académica coimbrã “A Briosa”, da qual era correspondente em Braga.
Com o seu condiscípulo A.D. Gomes, escreveu uma peça de teatro em 3 atos e 3 quadros initulada “Vita meã...”, para a récita de despedida do curso do 7º ano de liceu de Braga. A música (serenata e balada) é dos insígnes compositores portuenses Óscar da Silva e Moreira de Sá.
Fundou, nos Arcos de Valdevez, em maio de 1924, com José Castilho, a revista literária e regional “Serrana”.
Escreveu os seguintes livros:”Filhas de Eva”, prosa (1917), “Mundo de Feras”, poemeto (1924), “Amor Inquieto”, peça em um ato (1925), “A maça do pecado”, sonetos (1926), “Tudo”, livro de contos (1931), “Arraial Minhoto”, livro de versos (1933-1934).


Entrada Livre


Fonte: https://agenda.barcelos.pt/eventos/livro-de-versos-201carraial-minhoto201d-vai-ser-apresentado-na-biblioteca-municipal-de-barcelos
Recomendamos que confirme toda a informação junto do promotor oficial deste evento. Por favor contacte-nos se detectar que existe alguma informação incorrecta.
Download App iOS
Viral Agenda App
Download App Android