14:30 até às 19:00
Earthkeeping / Earthshaking - arte, feminismos e ecologia

Earthkeeping / Earthshaking - arte, feminismos e ecologia

GALERIA QUADRUM
Earthkeeping/Earthshaking - arte, feminismos e ecologia

Artistas: Alexandra do Carmo, Alicia Barney, Ana Mendieta, Bonnie Ora Sherk, Cecilia Vicuña, Clara Menéres, Emilia Nadal, Faith Wilding, Gabriela Albergaria, Gioconda Belli, Graça Pereira Coutinho, Irene Buarque, Laura Grisi, Lourdes Castro, Maren Hassinger, Maria José Oliveira, Mónica de Miranda, Rui Horta Pereira, Teresinha Soares, Uriel Orlow

Curadoria: Giulia Lamoni e Vanessa Badagliacca
25.07 – 04.10.2020

Horário da exposição: terça a domingo - 14h30-19h

As Galerias Municipais inauguram no dia 25 de julho mais uma exposição, desta vez na Galeria Quadrum, intitulada Earthkeeping/Earthshaking - arte, feminismos e ecologia, com curadoria de Giulia Lamoni e Vanessa Badagliacca.

A exposição reúne obras de artistas como Alexandra do Carmo, Alicia Barney, Ana Mendieta, Bonnie Ora Sherk, Cecilia Vicuña, Clara Menéres, Emilia Nadal, Faith Wilding, Gabriela Albergaria, Gioconda Belli, Graça Pereira Coutinho, Irene Buarque, Laura Grisi, Lourdes Castro, Maren Hassinger, Maria José Oliveira, Mónica de Miranda, Rui Horta Pereira, Teresinha Soares, Uriel Orlow.

Em 1981, a revista de arte feminista norte-americana Heresies dedicou a sua 13.ª edição à exploração das relações entre feminismo e ecologia. Intitulada “Earthkeeping / Earthshaking”, esta edição contou com a contribuição de autoras de várias nacionalidades, entre elas a crítica de arte Lucy Lippard, as artistas Ana Mendieta, Faith Wilding, Bonnie Ora Sherk, Cecilia Vicuña, e a escritora Gioconda Belli.
A partir da pergunta “O que é que as mulheres podem fazer acerca da direção desastrosa que o mundo está a tomar?”, Heresies #13 pretendia questionar as relações entre feminismos e ecologia através de múltiplas perspectivas, desde a necessidade da teoria feminista “integrar a vida social, a história e os ambientes naturais” até à resistência à exploração capitalista dos recursos dos países do então chamado “Terceiro Mundo” e à preocupação com o crescente militarismo da administração norte-americana.
Tomando Heresies #13 como ponto de partida e como arquivo histórico e político capaz de estimular uma reflexão fértil acerca da triangulação entre arte, ecologia e feminismos, a exposição “Earthkeeping /Earthshaking - arte, feminismos e ecologia” pretende afirmar o papel pioneiro desempenhado por numerosas artistas neste âmbito específico e, ao mesmo tempo, problematizar a operacionalidade do seu contributo no presente. Assim, a exposição reúne um conjunto de obras e de material documental de artistas que – através da articulação de olhares e práticas bastante heterogéneos – questionaram, nos anos 70 e início dos anos 80, a relação do indivíduo ou colectividade com o ambiente natural, as dicotomias entre natureza e cultura, a associação tradicional do feminino com as forças da natureza, as relações complexas entre capitalismo avançado, histórias coloniais e destruição do ambiente.
Algumas das artistas cujo trabalho é aqui apresentado contribuíram de forma diversa para Heresies #13, outras foram selecionadas por causa do diálogo desafiante que a sua prática desta época tece com as questões abordadas. Com obras produzidas especificamente para a exposição, participam também alguns artistas de gerações mais novas, e residentes em Lisboa, cujo trabalho mostra uma preocupação específica com esta temática no presente. Além de traçar linhas genealógicas significativas, o cruzamento entre perspectivas desenvolvidas nos anos 70 e 80 e na actualidade tem o objectivo de inscrever as problemáticas exploradas numa contemporaneidade situada e reivindicar a urgência da sua discussão no contexto português.
A exposição tem o apoio do Istituto Italiano di Cultura – Lisbona, da FLAD – Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e da Pro Helvetia.

Horário: terça a domingo, das 14h30 às 19h até 04 de outubro. 

*

In 1981, the American feminist art magazine Heresies dedicated its 13th edition to the relationships between feminism and ecology. Entitled “Earthkeeping / Earthshaking”, this edition featured contributions from authors of various nationalities, including art critic Lucy Lippard, artists Ana Mendieta, Faith Wilding, Bonnie Ora Sherk, Cecilia Vicuña and Michelle Stuart, as well as writer Gioconda Belli. Departing from the question “What can women do about the disastrous direction the world is taking?”, Heresies # 13 intended to question the relationships between feminisms and ecology from multiple perspectives. Taking Heresies # 13 as a starting point and as a historical and political archive capable of stimulating a fertile reflection on the triangulation between art, ecology and feminisms, the exhibition Earthkeeping / Earthshaking aims to affirm the pioneering role played by numerous artists in this specific context and, at the same time, analyse the potential of their ideas today. 

The exhibition presents art works and ephemera by artists who – during the 1970s and early 1980s and by means of heterogeneous practices – questioned our individual and collective relationships with nature and the environment, the dichotomies between nature and culture, the traditional associations of the feminine with forces of nature, as well as the complex relationships between capitalism, colonial histories and environmental degradation.
Some of the artists whose work is presented here have contributed in different ways to Heresies #13, while others have been selected because of their practice and their challenging dialogue with the issues at stake. The exhibition Earthkeeping / Earthshaking - art, feminisms and ecology features works produced specifically for the occasion, as well as works from artists of a younger generations and artists residing in Lisbon. In addition to tracing significant historical backgrounds and demonstrating analogies between perspectives developed during the 1970s and 1980s and the present day, Earthkeeping / Earthshaking aims to inscribe the problems explored within a contemporary context and highlight the urgency for discussion in the Portuguese context.
This exhibition has been supported by FLAD – Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, Istituto Italiano di Cultura – Lisbona and Pro Helvetia.



CONDIÇÕES DE ACESSO // SAFETY MEASURES

A Lotação máxima nesta galeria é de 10 pessoas em simultâneo; É obrigatório o uso de máscara, assim como cumprir o distanciamento social de 2m; Disponibilização de álcool gel na bilheteira; Sinalética relembrando as medidas necessárias para uma visita em segurança; Visitas orientadas com lotação máxima de 5 pessoas e marcação prévia para: mediacao@galeriasmunicipais.pt

Respecting safety and social distancing measures, the capacity at this gallery is limited to 10 visitors at one time and the use of mask is mandatory. The Municipal Galleries provide hand sanitizer at the entrance. To facilitate a safe visit, gallery signage is in place. Capacity of guided tours is limited to 5 visitors and must be booked in advance and via email: mediacao@galeriasmunicipais.pt
Os eventos publicados estão sujeitos a adiamento ou cancelamento devido ao surto de Coronavírus. Recomendamos que confirme toda a informação junto do promotor oficial deste evento. Por favor contacte-nos se detectar que existe alguma informação incorrecta.
Download App iOS
Viral Agenda App
Download App Android