Fechar Os eventos publicados estão sujeitos a adiamento ou cancelamento devido ao surto de Coronavírus. Recomendamos que confirmem junto dos promotores se estes vão ocorrer.
21:00 até às 23:30
Formula for Fantasy

Formula for Fantasy

Grátis
FORMULA FOR FANTASY - film screening 
Curadoria / Curator: Dasha Birukova
Filmes de  / Films by: Emily Wardill, James Richards, Mikhail Maksimov, Anna Studinovskaya, John Wood e Paul Harrison, Paul Spengemann, Dmitry Kavka, Sara Culmann e Gabriel Abrantes.

Entrada livre mediante marcação pelo email ritaduro@egeac.pt
Lotação: 23 pessoas 
M/18


A fantasia é uma consequência especial da imaginação, o principal conteúdo dos processos mentais inconscientes, designação dos sonhos lúcidos e invenções. Lacan define fantasia como o suporte da suposta realidade, um cenário imaginário que dá estabilidade à existência humana e estrutura o nosso desejo. Ao mesmo tempo, a fantasia representa não só a estrutura da existência humana, mas também toda a base da existência da realidade social.
O real é uma espécie de entidade quimérica que não possui qualquer estabilidade ontológica, sendo um “evento” traumático, o ponto de falência da simbolização, produzindo a sua presença ilusória de alterações estruturais na realidade simbólica do sujeito.
A fórmula para a fantasia procurou criar um cenário imaginário que preencha a incerteza, a falha no desejo do Outro. A fantasia define o enquadramento em que o sujeito tem a capacidade de desejar.

O cenário imaginário do vídeo “Rosebud” (2013), de James Richards, é baseado num estudo de raspagens sobre papel que escondem – aliás, apagam – imagens eróticas em fotografias de Mapplethorpe, Tillmans ou Man Ray. Fetichisando um movimento de um conjunto restrito de imagens, o artista cativa o público para esta viagem de sensações.
“The Palace” (2013), de Emily Wardill, joga com a materialidade do “analógico” e a abstração do “digital”. Aqui o analógico projeta uma estética do digital, acompanhado de uma voz masculina que descreve os estados psicológico e percetual nos quais os pormenores concretos se tornam turvos, numa experiência de monocromatismo que impede a perceção das cores.
No seu filme “The Death of Father Men” (2018), Mikhail Maksimov conta a história de um neurocrime baseada na investigação da morte do padre Alexander, que o artista incorpora numa realidade virtual aumentada que reflete sobre a ideia de melancolia como um símbolo maior da cultura russa.
O cenário imaginário no filme de Anna Studinovskaya é baseado no conceito de técnicas de testes de confiabilidade avançada/testes de durabilidade avançada, os quais são desenhados para avaliar o conhecimento de um indivíduo dos requisitos de segurança para o transporte rodoviário de materiais perigosos, neste caso aplicados a seres humanos. O seu vídeo “ART / ADT” (2016) contempla a noção de harmonia futura na era pós-humana.
No seu vídeo “Car/Lake” (2014), John Wood e Paul Harrison desembrulham a matéria cinemática das imagens em movimento, explorando-a como se a analisassem ao microscópio, usando a paisagem como unidade de medida do movimento.
Em “Walking stick” (2017), Paul Spengemann cria uma criatura fantasmagórica que habita o mundo humano e fornece uma visão da possível existência de “outras” identidades.
A pós-realidade – mistura de realidade virtual e vida quotidiana – é um leitmotif na obra de Dmitry Kavka. Ao fotografar ou digitalizar objetos do mundo à nossa volta, o artista está a traduzi-los do mundo real para o virtual, retornando depois à realidade transformada na sua essência, com novas formas e propriedades. O seu vídeo “When will it end? Never” (2016) é a quinta-essência das paisagens pós-apocalípticas dos jogos de computador localizados nos subúrbios pós-soviéticos.
Sara Culmann utiliza conteúdos livres da Internet para criar um simulacro da realidade baseada nos clichés da produção dos meios de comunicação de massa. O seu filme de gângsteres apropriado “Copyleft production” (2014) irradia ansiedade e distanciamento, parasitando regras e perceções.
O filme de Gabriel Abrantes “Freud Und Friends” (2015) representa, com ironia, o seu inconsciente e transforma-o num anúncio ao Óleo de Banho de Pastel de Belém, que lhe permite usar um pouco de cozinha tradicional portuguesa na sua pele.

Dasha Birukova

//

Fantasy is a special consequence of imagination, the primary content of unconscious mental processes, the designation of lucid dreams and inventions. Lacan defines fantasy as the support of the supposed reality, as an imaginary scenario that gives stability to human existence and structures our desire. At the same time, fantasy represents not only the structure of human existence, but also the whole basis of the existence of social reality.
The real is a sort of chimerical entity that does not possess any ontological stability, it is a traumatic «event», the point of failure of symbolization, producing its illusory presence of structural changes in the symbolic reality of the subject.
The formula for fantasy aimed to create an imaginary scenario that fills the uncertainty, the gap in the desire of the Other. Fantasy sets the framework in which the subject is able to desire.

The imaginary scenario of James Richards' video « Rosebud» (2013) is based on a study of scuffs on paper that hide or rather erase arousing images in photos of Mapplethorpe, Tillmans, or Man Ray. Fetishizing a movement of a restricted set of images, he engrosses the audience to his journey of sensations.
«The Palace» (2013) by Emily Wardill plays with a materiality of «analogue» and the abstraction of the «digital». Where the analogue projects an aesthetic of the digital, surrounded by the mail voice describing the psychological and perceptual states beneath which concrete particulars become clouded, an experience of monochromacy is unable to perceive colors.
Mikhail Maksimov in his film «The Death of Father Men» (2018) narrates a neurocrime-story based on the investigation of the death of Father Alexander that he incorporates into an extended virtual reality that reflects on the idea of melancholy as a main symbol of Russian culture.
The imaginary scenario by Anna Studinovskaya´s film is based on the idea of advanced reliability test/advanced durability test skills that are designed to assess an individual's knowledge of the safety requirements for road transport of dangerous goods, but here applied to human beings. Her video «ART / ADT» (2016) contemplates the notion of the future harmony in the post-human era.
John Wood and Paul Harrison in their video «Car/Lake» (2014) unwrap the cinematic matter of moving images, exploring it as if under a microscope, where the landscape is a measurement unit of the movement.
Paul Spengemann in his «Walking stick» (2017) creates a phantom creature that operates in the human world and provides a vision of the possible existence of the «other» identities.
Post-reality - mixture of virtual reality and daily life - is a leitmotif of Dmitriy Kavka`s practice. By photographing or scanning objects of the surrounding world, he translates them from the real world into the virtual, and then returns to reality changed in its very essence, with new forms and properties. His video «When will it end? Never» (2016) is a quintessence of the post-apocalyptic landscapes of computer games located within post-soviet suburbia.
Sara Culmann uses free content from Internet to create a simulacrum of the reality based on the clichés of mass media production. Her appropriated gangster film «Copyleft production» (2014) sheds anxiety and estrangement, parasitizing on rules and perceptions.
Gabriel Abrantes’ film «Freud Und Friends» (2015) ironically represents his unconsciousness and transforms it into an advertisement for Belem Pastry Oil Body Wash with which you can wear a little traditional Portuguese cuisine on your skin.

Dasha Birukova
 

O evento encontra-se licenciado pela Inspeção Geral das Actividades Culturais como Ciclo de Cinema "Under the Ground" com a classificação etária M/18. 

The event is licensed by the Inspeção Geral das Actividades Culturais as cinema cycle "Under the Ground" with the certification 18+.

O programa Formula for Fantasy  realiza-se no Jardim da Galeria Quadrum, respeitando as normas em vigor e as distâncias de segurança entre lugares. A lotação é de 23 pessoas e recomenda-se o uso de máscara. As Galerias Municipais disponibilizam gel desinfetante em todo o espaço. 

The film cycle Under the Ground takes place in the gardens of Quadrum Gallery Garden. Respecting safety and social distancing measures, the capacity is limited to 23 visitors and the use of mask is recommended.  The Municipal Galleries provide hand sanitizer at the entrance to the venue.
Recomendamos que confirme toda a informação junto do promotor oficial deste evento. Por favor contacte-nos se detectar que existe alguma informação incorrecta.
Download App iOS
Viral Agenda App
Download App Android