Fechar Os eventos publicados estão sujeitos a adiamento ou cancelamento devido ao surto de Coronavírus. Recomendamos que confirmem junto dos promotores se estes vão ocorrer.
21:00 até às 22:00
Hoje nada faz sentido

Hoje nada faz sentido

8€
"HOJE nada faz sentido"

“O nosso caminho. O percorrer das sensações do nosso ser na solidão como se cada um de nós fosse o único da sua espécie. A destruição e decomposição do que éramos ontem e não somos hoje, na incógnita de partir para um amanhã. Os passos da nossa realidade que nos trazem a este momento. A este dia, minuto e segundo. Um olhar ao avesso que nos ensina o ser que nos é devido. E a sobrevivência que lhe é intrínseca. HOJE.”

A partir do “Hoje” de Miguel Ramalho (bailarino da Companhia Nacional de Bailado), Catarina Medeiros, Maria João Gouveia e Sara Machado (37.25 - Núcleo de Artes Performativas) desconstroem o conceito do coreógrafo, juntando-se a ele em palco, criando “HOJE nada faz sentido”. 

O espetáculo compõe-se por 4 solos distintos que exploram o momento atual de cada intérprete garantindo que o hoje de agora será sempre diferente do “hoje” que foi ontem e do que será amanhã. 

Dia 7 de março às 21h
Bilhetes (8€) à venda no Estúdio 13 - Espaço de Industrias Criativas
Reservas: estudio13.geral@gmail.com


| Miguel Ramalho

Miguel Ramalho iniciou a sua formação na Escola de Dança do Conservatório Nacional, onde ao fim de 8 anos concluiu o seu curso trabalhando com vários professores, mestres e coreógrafos. Ingressou de imediato na Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo sob direção de Vasco Wellenkamp onde se manteve 3 anos dançando todo o repertório da companhia tanto a nível nacional como internacional em países como: Espanha, Alemanha, Itália, Israel e Nova York nos conceituados “Suzanne Dellal” “Joyce Theater”. Para além de todas as coreografias de Vasco wellenkamp, trabalha também com Rui Lopes Graça, Bárbara Griggi, Henri Oguike, entre outros. 

Muda-se então para a Companhia Nacional de Bailado, onde ainda permanece e onde dançou todo o repertório da companhia, clássico e contemporâneo, tanto em Portugal como internacionalmente. De realçar a República Democrática do Congo, Alemanha e Suécia. 
Na vertente clássica sublinha-se o trabalho com Armando Jorge, Mehmet Balkan, Fernando Duarte, Ted Brandsen, Ivan Cavalari (John Cranko), Georges Garcia, Michael Corder, Hans Van Manen, entre outros. 
No que respeita ao repertório contemporâneo destacam-se: Vasco Wellenkamp, Rui Lopes Graça, Edward Clug, Marguerite Donlon, Marco Cantalupo, Olga Roriz, Paulo Ribeiro, Cayetano Soto, Anna Teresa de Keersmaeker, Mauro Bigonzetti, Ohad Naharin, Akram Khan, Sasha Waltz, Maurice Causey (William Forsythe), Rui Horta, Victor Hugo Pontes, São Castro, António Cabrita, Tânia Carvalho.

De realçar o prémio de bailarino do ano em Portugal em 2012 pelo jornal expresso. Mais tarde, torna-se o primeiro bailarino da companhia a fazer uma residência em África para a criação do espectáculo “Portrait series - IMiguel” dançado a solo na Companhia Nacional de Bailado e criado pelo coreógrafo e artista na cidade do ano 2016 em Lisboa Faustin Liniekula. 
Em 2010 dança como bailarino convidado na famosa peça “Amaramália” de Vasco Wellemkamp na sua companhia de origem. 

Em 2018, junta-se à Companhia de Dança Contemporânea de Évora para a Criação “Cumplicidades” de Nélia Pinheiro.
Desde muito cedo leccionou em masterclasses e anualmente leciona dezenas de Workshops por todo o país. 
Inicia o seu percurso coreográfico na Escola de dança do Conservatório Nacional com “Traces in the dust”, na Companhia Portuguesa de bailado contemporâneo com “The Ball”, na  companhia de Dança Contemporânea de Évora com “Silent Tales of us” e “Side Story” com a Companhia Nacional de Bailado. 
É parceiro numa nova criação para o Centro Cultural de Belém com o artista francês Matias Pilet e o realizador Olivier Meyrou, cria uma nova peça para a Companhia Illicite Bayonne “Uprise” e co-cria com Vasco Wellenkamp a peça “Em redor da suspensão” para a Companhia Portuguesa de Bailado Contemporanêo.
Juntam-se projectos cinematográficos para o festival Paris L’été, festival Internacinal de cinema de Leiria e Mumbai, Índia. 
Em 2019, recebe a medalha de honra e mérito da sua região de nascimento pela representação e desenvolvimento cultural da mesma. 

| Catarina Medeiros

Catarina Medeiros nasceu em São Miguel, Açores, a 24 de Janeiro de 1993. 
Iniciou os seus estudos em Dança em 2006 na Escola de Dança Paz, frequentando as aulas de Técnica de Dança Clássica e de Técnica de Dança Moderna. 
Em 2014, termina a licenciatura em dança pela Escola Superior de Dança de Lisboa.  No âmbito da licenciatura participa no festival METADança em Liria, apresentando o Site-Specific “Raiz de Corpos”, e no espetáculo Metamorfoses produzido e apresentado na Culturgest. 
Realizou um curso de multimédia promovido pela Culturgest. E um estágio de produção e gestão cultural no Centrul Cultural Reduta em Brasov. Apresentou no mesmo espaço, em Brasov, uma co-produção com a coreógrafa Bianca Oichea de dança contemporânea e multimédia. 
Em 2011, funda o 37.25 - Núcleo de Artes Performativas junto com outros 8 bailarinos açorianos tendo criado inúmeros espetáculos, performances, vídeo-arte e o PARALELO festival de Dança do qual é Diretora Artística e de Produção. Com o núcleo 37.25NAP trabalha com coreógrafos como Marco da Silva Ferreira, Victor Hugo Pontes, Filipa Francisco, Luis Guerra, João dos Santos Martins e Daniel Cardoso. E com Hugo Franca e Pedro Sena Nunes na área do vídeo.  
É membro do projeto musical infantil – DU-DÉ-DU, projeto da Musiquim – Associação Musico-teatral dos Açores. Como professora, leciona dança criativa, dança moderna, dança contemporânea, ballet e dança inclusiva no Estúdio 13 – Espaço de Indústrias Criativas.
Desde 2015 tem vindo a trabalhar na área da dança inclusiva e da comunidade. Trabalhou com os grupos de jovens Espaço Extremo e CDIJ Porto Seguro em Rabo de Peixe, com os quais apresentou um espetáculo em Abril de 2015 no Teatro Ribeiragrandense no âmbito do dia dos maus tratos infantis, e uma recriação do trabalho da coreógrafa Filipa Francisco, apresentado no MiraMar em, Rabo de Peixe, em Julho de 2015. 
Em janeiro de 2016 co-criou, com Tiago Correia,  um espetáculo para o C.A.O da Santa casa da Misericórdia da Ribeira Grande, “VER’UM” apresentado no Teatro Ribeiragrandense. Em 2018 criou, com o mesmo grupo, o espetáculo “Um Ensaio Sobre Corpos” apresentado, na blackbox do Arquipélago Centro de Artes Contemporâneas e posteriormente na blackbox do Estúdio 13. Em 2017/2018 foi formadora do projeto de arte inclusiva “Seara de Emoções” na IPSS Seara do Trigo. Em 2017, tornou-se professora certificada do método do DanceAbility, método de improvisação na área da dança para qualquer corpo, tendo feito a formação com o criador/fundador Alito Alesso. 
Em 2019 cria o espetáculo “Em reação” em co-produção com Cristóvão Ferreira no âmbito do Projeto.1, projeto do Estúdio 13. 
De momento, encontra-se a terminar o Mestrado “Arts in Special and Inclusiva Education”, pela London Roehampton University. Atualmente é uma das formadoras do projeto de arte inclusiva “TODOS”.

| Maria João Gouveia

Inicia a sua formação em dança em 1993, no Estúdio de Dança de Ana Cymbron. Em 2004, ingressa na Escola Superior de Dança de Lisboa, onde obtém a licenciatura em Dança, Interpretação/Criação. Em 2007, realizou um estágio em direção de cena, no Centro Cultural de Belém. Em 2008, regressa a S. Miguel, onde trabalha até finais de 2010 como produtora e diretora de cena, no Teatro Micaelense. Desde 2008, trabalha como coreógrafa, bailarina e professora na região. Como coreógrafa e bailarina, apresentou vários trabalhos no território nacional, a solo e em conjunto com outros artistas, em equipamentos como no Teatro S. Luiz, Teatro Micaelense, Teatro Angrense e Arquipélago Centro de Arte Contemporânea. Em 2011, juntamente com 8 outros bailarinos micaelenses, forma o 37.25 – Núcleo de Artes Performativas, única companhia profissional de dança dos Açores.  
O 37.25NAP, tem apresentado vários trabalhos quer de autoria própria, quer com outros coreógrafos como Victor Hugo Pontes, Filipa Francisco, Luís Guerra, João dos Santos Martins, Daniel Cardoso e com companhias nacionais como os Quorum Ballet. Em 2017, o 37.25 cria e produz o primeiro festival de dança contemporânea nos Açores, PARALELO – Festival de Dança, já em 2018 coreografa para o 37.25 “As Fadas” de Antero de Quental.  
Participou como intérprete, produtora e assistente de realização em vários vídeo-dança como "Resvés", "Rouge" e "Entre a pele e a parede". Como professora tem trabalhado em estúdios particulares de dança, associações, academias e em 2018 abre em Ponta Delgada o seu próprio projecto, o Estúdio 13 - Espaço de Indústrias Criativas, um espaço que visa à criação, produção e mostra de artes performativas. Apresenta-se como directora artística, professora e artista residente do Espaço.

| Sara Machado

Nascida em 1988, praticou Dança Clássica e Moderna, com Milagres Paz, durante 16 anos, precedendo a Licenciatura em Dança (2007/10 - Escola Superior de Dança). 
Ao completar a licenciatura, frequenta o Curso de Artes Performativas do Sou – movimento e arte (2011), desenvolvendo aptidões em áreas congéneres da Dança como o Teatro, Canto, Música e Dramaturgia.
Também nesse ano, 2011, inicia o 37.25 – Núcleo de Artes Performativas, companhia da qual faz parte, colaborando como intérprete, criadora e produtora de todos os projetos deste então. Trabalhou na área da Dança / Performance com Vitor Hugo Pontes e Marco da Silva Ferreira (A Ilha), Filipa Francisco (Cardume), Luís Guerra (Especto), João dos Santos Martins (#dancewithsomebody), Daniel Cardoso / Quórum Ballet (Lago dos Cisnes e Garden), Tiago Correia (E caíram nas mãos gotas daquela alma) e Maria João Gouveia (As Fadas), assim como em cocriações do próprio colectivo (Resvés e Em rede). É, também Diretora de Comunicação do Paralelo Festival de Dança. 
Em simultâneo com o trabalho artístico, trabalha com o Método de Reabilitação e Treinamento – Pilates, desde 2014, ano em que se formou pela Tao Pilates (Brasil) e é certificada pelo IPDJ como Técnica de Exercício Físico. 
Atualmente lecciona Pilates e Dança Contemporânea em diferentes espaços - Holistika Azores, CAFBPD, Escola Dança Paz, entre outros.

| 37.25 Núcleo de Artes Performativas

37N 25W são as coordenadas que localizam a ilha de São Miguel no espaço. São estas coordenadas que definem a criatividade deste núcleo, inicialmente constituído por 9 bailarinos, micaelenses, que se uniram com o objetivo de partilharem a suas experiências e difundi-las através da dança. Construíram um processo que passa por uma viagem inovadora, ilustrada pela herança insular, geografia e construção de uma nova perspetiva da cultura açoriana. É na dança e performance que encontram a sua expressão e património cultural. É a partir da conceção de projetos nesta área, que comunicam e contagiam outros ramos artísticos. A filosofia deste grupo de intérpretes, coreógrafos e criadores, parte do princípio de que não existe um padrão a ser seguido. O processo de trabalho é colaborativo, deixando-se influenciar e instigar pelas linguagens e estilos dos próprios integrantes do Núcleo, assim como, com os diferentes coreógrafos com quem têm vindo a trabalhar.
Atualmente, após 9 anos, o Núcleo é constituído por: Catarina Medeiros, Maria João Gouveia e Sara Machado.

| Trabalhos
2011 Work in Progress / Arco 8;
2012 Resvés cocriação 37.25-NAP / Teatro Micaelense; Abertura do festival Walk&Talk; 2013 A Ilha de Victor Hugo Pontes e Marco da Silva Ferreira / Teatro Micaelense / Walk&Talk
2014 Cardume de Filipa Francisco / Teatro Micaelense / Walk&Talk;
2015 Charm criação 37.25-NAP / Exchange with your heart – Terra Nostra;
Espectro de Luís Guerra / Teatro Micaelense / Walk&Talk;
Em Rede– cocriação em tempo real 37.25-NAP / Teatro Ribeiragrandense;
No tapete da Magia Sharing the Music Vox Cordis / Coliseu Micaelense;
5 vídeo, instalação-performance 37.25-NAP com o músico Filipe Carneiro / Arco8;
2016 Lago dos Cisnes da companhia de dança Quórum Ballet / Teatro Micaelense;
Dia D oficinas e improvisação 37.25-NAP com os músicos Luís Senra e João Tavares / Celebração do Dia Mundial da Dança / Teatro Micaelense;
#DANCEWITHSOMEBODY de João dos Santos Martins / Teatro Micaelense / Walk&Talk;
E caíram nas mãos gotas daquela Alma de 37.25-NAP criação Tiago Correia / Teatro Faialense / Centro Cultural da ilha Graciosa / Teatro Ribeira-grandense;
2017 Casulo de 37.25NAP / Prix CIRCOM Regional Gala Awards/Paralelo-Festival de dança. 2018
PARALELO Festival de Dança #1
2018 As Fadas de 37.25NAP criação Maria João Gouveia/ Teatro Micaelense/ Noites de Verão CMPDL
2019 Garden de Daniel Cardoso – Quórum Ballet / Teatro Micaelense
Recomendamos que confirme toda a informação junto do promotor oficial deste evento. Por favor contacte-nos se detectar que existe alguma informação incorrecta.
Download App iOS
Viral Agenda App
Download App Android