N/D
Recital de Violino, Violoncelo e Piano

Recital de Violino, Violoncelo e Piano

Encontros no Auditório
Recital de Violino - Bruno Monteiro, Violoncelo - Miguel Rocha e Piano - João Paulo Santos
Dia 30 de julho, pelas 21h00, no Auditório Municipal de Gaia

«Bruno Monteiro, Violino

Considerado pelo jornal Público como sendo "sem dúvida, um dos melhores violinistas portugueses da actualidade" e pelo semanário Expresso como "um dos violinistas portugueses com maior visibilidade", Bruno Monteiro é reconhecido internacionalmente como um destacado violinista da sua geração. A Fanfare Magazine descreve-o como tendo um "som de ouro polido” e a Pizzicato classifica as suas actuações como "tecnicamente e expressivamente extraordinárias”. A Strad caracteriza a sua forma de tocar como "ardente e heróica” e a MusicWeb International afirma que as suas interpretações atingem um "equilíbrio quase perfeito entre o expressivo e o intelectual”. Finalmente a Gramophone elogia a sua "segurança e eloquência infalíveis”.

Lidera uma intensa actividade concertística, apresentando-se em recital, como solista com orquestra e em música de câmara nas mais destacadas salas de concerto e festivais de música em Portugal. No estrangeiro, actuou em Espanha, França, Itália, Holanda, Alemanha, Reino Unido, Áustria, Roménia, Bulgária, Ucrânia, Israel, Dinamarca, Filipinas, Malásia, Coreia do Sul e Estados Unidos. Em muitos destes países, tocou em prestigiadas salas como o Palácio Cibeles e a Casa de America de Madrid, a Musikverein de Viena, o Centro Cultural de Bucareste, o Bulgaria Hall em Sofia, a Filarmonia de Kiev, o Felicja Blumental International Music Festival em Telavive, o Kennedy Center de Washington D.C. e o Carnegie Hall de Nova Iorque. No domínio do recital, apresenta-se desde 2002 com João Paulo Santos. Tocou como solista com a Filarmonia das Beiras, Orquestra do Norte, Orquestra Sinfónica de Palma de Maiorca, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra Sinfónica Portuguesa e a English Chamber Orchestra, entre outras.

A sua recente discografia inclui a integral da obra para Violino e Piano e Violino Solo de Fernando Lopes-Graça para a Naxos, CD este elogiado pelas mais importantes revistas e jornais da especialidade em todo mundo e, para a Brilliant Classics, a integral da obra para Violino e Piano de Karol Szymanowski (Escolha do Editor na Revista Ritmo de Madrid e CD da Semana (Março de 2018) na Revista Forbes), a integral da obra para Violino e Piano de Erwin Schulhoff (Escolha do Editor na Revista Ritmo e álbum nomeado na Classical Candor (EUA) para a lista das Gravações Favoritas de 2016) e ainda a Sonata para Violino e Piano e o Trio para Piano, Violino e Violoncelo de Guillaume Lekeu, gravação esta que mereceu os maiores elogios da crítica musical especializada por toda a Europa, nos EUA, Canadá e Brasil. Em 2020 a Etcetera Records produziu e editou a sua gravação com a música para violino e piano de Igor Stravinsky, registo este que uma vez mais alcançou as mais elevadas distinções da crítica nacional e internacional.

Bruno Monteiro cursou a Manhattan School of Music de Nova Iorque como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e do Centro Nacional de Cultura, tendo-se aperfeiçoado posteriormente em Chicago com Shmuel Ashkenasi com bolsas do Ministério da Cultura e da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Miguel Rocha, Violoncelo

Iniciou os seus estudos no Conservatório do Porto com Isabel Delerue. Em 1983, prossegue a sua formação no estrangeiro com M. Strauss (Paris), Vectomov (Praga), Iankovic (Maastricht), Aldulescu, Pergamenchikov (Basileia), Fallot (Lausanne). Obteve vários diplomas com a máxima classificação, entre os quais o 1º Prémio de Virtuosidade do Conservatório Superior de Lausanne e o 1º Prémio do Concurso Internacional de Música UFAM. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian de 1983-85, para estudar em Paris e na Academia Superior de Praga. Prosseguiu o seu aperfeiçoamento no Conservatório de Maastricht e na Academia Superior de Basileia, como bolseiro da SEC.

Participou em estágios de Pedagogia na Manhattan University com Burton Kaplan e igualmente em cursos de interpretação com Paul Tortelier, C. Henkel, Janos Starker, P. Muller, M. Tchaikovskaia. Efectuou concertos em França, Suíça, Alemanha, Itália, Espanha, México, Brasil e EUA.

Foi violoncelista solo na "Sinfonieta de Lausanne” de 1996 a 1999. Leccionou durante 10 anos em várias escolas em França, nomeadamente no Conservatoire National de Belfort, Grenoble, Annecy e, na Suiça, em Lausanne, de 1997 a 2000.

Em 2001, regressou a Portugal, onde desenvolve uma intensa actividade como solista e músico de câmara, assim como pedagogo, no Politécnico de Castelo Branco – ESART.

Tocou em várias formações com Ana Bela Chaves, António Rosado, Luíz Moura Castro, Daniel Rowland, Miguel Borges Coelho, Aníbal Lima, Filipe Pinto Ribeiro, etc.

Como membro do Duo Contracello gravou quatro CD´s. Com o Trio Athena, gravou um CD em França, com os trios de Debussy e Beethoven. A solo gravou com o Duo Sigma um CD com obras de João Pedro Oliveira.

No Violoncelo barroco, com o Ensemble Avondano, participou na edição e gravação de repertório inédito do séc. XVIII português - As quatro sonatas as e dois duos de João Baptista André Avondano (com o violoncelo Stradivarius "King of Portugal”) e na gravação de um segundo CD, com Os Trios Sonata de Pedro António Avondano (com o violoncelo Galrão, do Sec. XVIII).

Actualmente é Professor Coordenador de Violoncelo na ESART, membro do Duo Contracello, Duo Sigma, Avondano Ensemble e Tesseract Ensemble.

João Paulo Santos, Piano

Nascido em Lisboa em 1959, o pianista João Paulo Santos diplomou-se no Conservatório Nacional desta cidade. Como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, completou os estudos em Paris com Aldo Ciccolini (1979-1984).

Durante as últimas quatro décadas tem trabalhado no Teatro Nacional de São Carlos, teatro de ópera de Lisboa, primeiro como maestro principal do coro, e agora como Director de Estudos Musicais e Director Musical de Cena. Artisticamente, tem-se distinguido como maestro de ópera, pianista e investigador de repertório menos conhecido, se não mesmo esquecido, de compositores portugueses.

Dirigiu óperas diversas, de Menotti a Sondheim, e dirigiu estreias portuguesas de obras de Henze, Hindemith, Hosokawa, Martin e Stravinsky, sendo-lhe atribuído o Prémio Acarte 2000 pela direcção de The English Cat de Henze. Tem sido convidado a dirigir estreias de obras orquestrais ou operáticas de Eurico Carrapatoso, António Chagas Rosa, Clotilde Rosa e António Pinho Vargas. Descobriu e reviu as partituras para execução prática das óperas Serrana e Dona Branca de Alfredo Keil, bem como Lauriane e O Espadachim do Outeiro de Augusto Machado.

Em 2018, numa produção conjunta entre o São Carlos e a Imprensa Nacional – Casa da Moeda, começou a publicar uma colecção de partituras de música vocal portuguesa, do século XVIII ao XX, sob o título "Património Lírico Português”.

Em 2019 dirigiu, no São Carlos, L’Étoile de Chabrier.

Como pianista, tem-se apresentado como solista ou como pianista acompanhador dos mais proeminentes cantores, bem como em grupos de câmara, destacando-se os duos com o violinista Bruno Monteiro e com a violoncelista Irene Lima. Juntou-se ao Trio Aeternus em 2019.

A sua discografia inclui repertório diversificado, desde as canções do "Le Chat Noir” até às obras clássicas de Liszt, Martinů, Poulenc, Saint-Saëns, Satie, Schulhoff e Szymanowski, incluindo, dentre outros, os compositores portugueses António Fragoso, Luiz de Freitas Branco e Jorge Peixinho.»

Informações: Auditório Municipal de Gaia - 22 377 18 20 | auditoriomunicipal@cm-gaia.pt

Fonte: http://www.cm-gaia.pt/pt/eventos/recital-de-violino-violoncelo-e-piano/
Os eventos publicados estão sujeitos a adiamento ou cancelamento devido ao surto de Coronavírus. Recomendamos que confirme toda a informação junto do promotor oficial deste evento. Por favor contacte-nos se detectar que existe alguma informação incorrecta.
Download App iOS
Viral Agenda App
Download App Android