09:00 até às 20:00
Estágio de Dança de Aveiro 2021

Estágio de Dança de Aveiro 2021

20€ - 200€
Em 2021 comemoramos a 25.ª edição do Estágio de Dança de Aveiro, organizado pelo Teatro Aveirense. Uma celebração que decorrerá entre 26 e 31 de Julho, em vários espaços da cidade, e que assinala uma nova parceria com a Companhia Nacional de Bailado, assim como a continuidade da parceria com Gaga Movement, iniciada há quatro anos. Pela quarta edição consecutiva, a curadoria do Estágio de Dança é do coreógrafo Victor Hugo Pontes, que este ano também dirige um Atelier Coreográfico para profissionais.  
 
O programa desta edição foi desenhado de forma a incluir uma grande amplitude de experiências, destinadas a todos os que se interessam pelo universo da Dança: dos mais novos aos profissionais, sem esquecer os apenas curiosos.  



GRUPOS
>> Grupo 1 (8-9 anos) - Lotação: 12 PAX  
Clássico // House Dance // Breaking // Dança Contemporânea // Laboratório Criativo 1  
 
>> Grupo 2 (10-12 anos) - Lotação: 12 PAX  
House Dance // Clássico // Dança Contemporânea // Breaking // Laboratório Criativo 2  
 
>> Grupo 3A (13-15 anos) - Lotação: 12 PAX  
Dança Clássica // Dança Contemporânea // Laboratório Criativo 3 *  
 
>> Grupo 3B (13-15 anos) - Lotação: 12 PAX  
Dança Contemporânea // Breaking // Laboratório Criativo 3 *  
 
>> Grupo 4A (>16 anos) - Lotação: 12 PAX  
Dança Clássica // Dança Contemporânea // Laboratório Criativo 4 *  
 
>> Grupo 4B (>16 anos) - Lotação: 12 PAX  
Breaking // Dança Contemporânea // Laboratório Criativo 4 *  
 
* Lotação limitada a 12 elementos por ordem de inscrição nos Laboratórios Criativos 3 (grupo 3A+3B) e 4 (grupo 4A+4B)  
 
>> Grupo 5 - Lotação: 12 PAX  
Iniciação Contemporânea para adultos  
 
>> GAGA Dancers / Repertório OHAD NAHARIN (M/16) - Lotação: 12 PAX  
 
>> Atelier de Criação c/ Victor Hugo Pontes (M/18) - Lotação: 12 PAX  
 
 
 
TÉCNICAS  
>> Atelier Coreográfico | Victor Hugo Pontes  
Atelier Coreográfico dirigido a bailarinos e actores, maiores de 18 anos, onde será explorada a destreza física, recorrendo a várias abordagens, desde o aquecimento do corpo e práticas de concentração, até um trabalho mais complexo de interpretação.  
Haverá exercícios orientados de composição, explorando diferentes linguagens coreográficas.  
Trata-se de um atelier experimental, desenvolvido a partir do contributo dos participantes face à proposta do coreógrafo.  
 
>> Ballet Clássico | Isabel Galriça e Susana Matos  
A aula de Ballet Clássico irá abordar os conteúdos técnicos e artístico, desenvolvendo e aperfeiçoando as habilidades motoras, coordenação e fluidez do movimento.  
 
>> Breaking | André “Hércules” e André (Speedy) Garcia  
Esta aula tem como objectivo desenvolver a consciência corporal e a exploração criativa através do vocabulário de Bboying (breakdance). Composto por uma série de passos base que estimulam os alunos a viajarem em diferentes níveis (drops, foot e floor work) assim como em posições invertidas e de rotação (freezes e powermoves) com o objectivo final de partilhar estímulos diversos que os alunos podem transformar, adicionar e reciclar como ferramentas para o seu próprio treino e desenvolvimento criativo e artístico.  
 
>> Dança Contemporânea | Elisabeth Lambeck, Mafalda Deville, Margarida Costa Belo e Maria Antunes  
Nestas aulas de dança, a proposta centra-se na constante descoberta do corpo através do movimento. Potencializar um corpo adaptável e versátil, consciencializando a relação do corpo com as suas partes e o seu todo, com outro corpo, com o espaço, tempo, peso, gravidade, níveis, direções, dinâmicas, entre outros.  
Incentivar a expressão individual através das diferentes qualidades do movimento, fornecendo ferramentas que estimulem o aluno para novas estéticas.  
Cada professor desenvolverá um trabalho técnico de acordo com a sua experiência profissional, referências e linguagens próprias.  
 
>> Gaga/dancers | Erez Zohar  
Gaga é uma linguagem de movimento desenvolvida por Ohad Naharin ao longo de muitos anos de pesquisa, em paralelo com o seu trabalho como coreógrafo e diretor artístico da Batsheva Dance Company. A linguagem de movimento originou da sua crença no poder que o movimento tem de gerar bem-estar.  
As aulas de Gaga focam-se em gerar consciência corporal, de forma a ouvir como o corpo gera movimento e as suas sensações físicas. As instruções dadas pelo professor têm como objetivo aumentar a conscientização corporal, oferecendo informação de forma acumulativa, criando uma experiência multissensorial e fisicamente desafiadora.  
Gaga fornece uma estrutura onde se descobre e fortalece o corpo, onde se trabalha a flexibilidade, a resistência e agilidade, estimulando os sentidos e a imaginação. As aulas oferecem um treino que investiga forma física, velocidade e esforço, ao percorrer espectros adicionais, como aqueles entre texturas suaves e espessas, delicadeza e poder explosivo, e eufemismos e exageros. Os participantes despertam áreas adormecidas, aumentam a sua consciência de hábitos e melhoram a sua eficiência de movimento em tarefas onde se acumulam múltiplas camadas e são encorajados a estabelecer ligação ao prazer em momentos de esforço.  
 
>> House dance | Ricardo Silva  
O House é um estilo que tem como identidade musical a House music com raízes nos clubes de Chicago mas cresceu e evoluiu nos clubes de Nova Iorque.  
Ao contrário do que se pensa, House não é um estilo descendente da cultura Hip Hop, não veio das ruas, nasceu e cresceu nos clubes e maioritariamente é dançado com músicas House e Disco, em vez de Hip Hop. Existem bailarinos de Hip Hop e House que interagem e partilham, estando também relacionados os estilos como o Waacking, Vogue e Hustle. O House influenciado desde a sua origem, incorpora movimentos de diversos estilos e inclui também uma variedade de técnicas e sub-estilos como o Lofting, Footwork, skating, stomping, Shuffling e ainda o principal elemento do House que tem origem em Chicago, JACKING. “Jack is the foundation”. Jack é o movimento repetido que acelera e diminui para corresponder ao ritmo de uma música.  
Vamos viajar dentro desta cultura Clubbing, desde das suas origens até aos dias actuais, conhecendo a essência do House através dos elementos, estilos e sub estilos que influenciam esta cultura.  
 
>> Iniciação à dança contemporânea para adultos | Daniela Cruz  
Durante esta formação, numa abordagem inicial à técnica de dança contemporânea, serão trabalhadas, de forma orgânica e intuitiva, noções básicas do corpo no espaço e do contacto com outros corpos. As aulas são abertas a pessoas com ou sem experiência em técnicas de dança, mas que tenham vontade de experimentar.  
 
>> Laboratórios de criação | Elisabeth Lambeck, Francisco Pinho, Maria Antunes, Roberto Mendes  
Laboratório de Criação será um espaço de exploração e experimentação, tendo como ponto de partida a linguagem coreográfica e o universo de cada coreógrafo, desmistificando o seu processo criativo. Trata-se de um laboratório altamente experimental, cujo resultado será em grande medida definido pelo contributo dos participantes face às propostas dos coreógrafos. Terá uma apresentação pública no último dia do estágio.  
 
 
 
FORMADORES  
>> André “Hércules”  
André Silva, mais conhecido como “Hércules”, é bailarino e professor. Iniciou a sua jornada no mundo da dança aos 15 anos, em Barcelos. Membro do conhecido grupo Momentum Crew, tem como principal forma de expressão o Breaking, um dos elementos da cultura Hip Hop e um dos principais estilos das danças urbanas. Destacam-se trabalhos em projetos como “Urbano eu Soul” em SP/Brasil em 2015, participação no Windhoek Internacional Dance Festival, na Namíbia, a convite da Embaixada Portuguesa 2017, Circo do Coliseu do Porto, “Impossível” de Luís de Matos e espetáculos dos Casinos Sol Verde de Max Oliveira. Atualmente coordena dois projetos de dança em Braga, um de âmbito social - “Cultura Para Todos”, em parceria com a Cruz Vermelha Portuguesa e, um outro, criado pelo mesmo - “Braga Break”, que visa a divulgação e ensino do Breaking no distrito de Braga.  
 
>> André (Speedy) Garcia  
Nascido em 1986. Foi no seio da cultura Hip-Hop que encontrou a sua forma de expressão na vertente de Bboying e Graffiti. O facto de ter nascido sem o antebraço direito nunca o fez sentir diferente mas curioso, criativo, analítico e adaptável. A sua paixão pela dança levou-o a experienciar diferentes tipos de movimento desde Capoeira, Trampolins, Ginástica, Dança Clássica, Dança Contemporânea, Mergulho, complementando também o seu vocabulário e o seu método de ensino com outros estilos de Street Dance. Membro das crews Jukebox crew e In Motion crew. Trabalhou com a Companhia Teatro Praga e com o coreógrafo André Mesquita.  
Actualmente vive em Lisboa onde ensina regularmente Breakdance desde 2011.  
 
>> Daniela Cruz  
[Porto, 1985]. Completou o curso vocacional na Escola de Dança Ginasiano. Em 2007, obteve a licenciatura no programa de Dança, especialização Intérprete, na Codarts, Roterdão. Estagiou na Companhia Dansgroep Krisztina de Châtel, em Amesterdão. Desde 2007, trabalha como freelancer, com vários coreógrafos, com digressões nacionais e internacionais. Até à data, em Portugal, trabalhou como intérprete com Marco da Silva Ferreira, Victor Hugo Pontes, Cristina P. Leitão, André Braga e Cláudia Figueiredo /Circolando, Joana Providência, Nuno M Cardoso, Nuno Preto, Jonathan Saldanha e Catarina Miranda. Paralelamente à sua carreira de intérprete, iniciou a sua actividade como criadora e, entre várias peças, criou O meu mundo (co criação com Nuno Preto) (2018). Em 2016, criou Entre Plasmas para a K2, companhia para ‘pequenos’ bailarinos – jovens bailarinos em formação na Escola de Dança Ginasiano. Em 2019, criou Romeu Romeu para os alunos do último ano da Escola de Dança Ginasiano em contexto de FCT (Formação em Contexto de Trabalho) e Na terceira margem, sem vista parao rio, para o CITAC, Círculo de Iniciação Teatro da Academia de Coimbra. No âmbito do Espírito do Lugar, um espectáculo-percurso de dança, performance, teatro físico, vídeo, um projecto da Circolando, colaborou durante as 5 edições que existiram. Actualmente está a co criar com o Nuno Preto, o espectáculo montanha pluma negra. Fez assistência de coreografia e de ensaio, na Companhia Instável. Fez direcção de movimento para o Teatro Art'Imagem e para o Teatro Bolhão. É formadora e orientadora de FCT na Escola de Dança Ginasiano e Directora do Curso de Dança Contemporânea da ACE – Academia Contemporâneo do Espectáculo. É coordenadora artística dos cursos FAÍCC e FOCAR da Companhia Instável.  
 
>> Elisabeth Lambeck  
É professora, intérprete, coreógrafa profissional holandesa e vive no Porto. Como performer dançou em diversas companhias e projetos europeus. Destaca as colaborações com os criadores Sharon Eyal, Andre Gingras, Jorma Elo, Stijn Celis, Conny Janssen, Guido van der Werve, Saskia Boddeke e Peter Greenway. Há dez anos que trabalha com artistas portugueses como: Rui Horta, Paulo Ribeiro, Hélder Seabra, Marco da Silva Ferreira e Mafalda Deville.  
Em 2013 começou a criar os seus próprios trabalhos. Neste momento está envolvida em vários projetos educativos, nomeadamente nos conservatórios Pallco, CDVS, CDN, e faz parte de equipa da Oficina ZERO, com Mafalda Deville e Israel Pimenta. Frequenta o Mestrado em Coreografia, COMMA, nas Universidades Fontys e Codarts, nos Países Baixos.  
 
>> Erez Zohar  
Começou a sua aprendizagem na dança como membro de companhias locais, incluindo a Hora Jerusalem e a Jerusalem Tap Dance Company. Recebeu várias bolsas Sharett da Fundação Cultural América-Israel, assim como uma bolsa do Ministério da Cultura e Educação. Formado na escola secundária da Academia de Música e Dança de Jerusalém, juntou-se à Batsheva Ensemble em 2002 e dançou com a Batsheva Dance Company de 2005 a 2012, tendo regressado à companhia em 2017. Na Batsheva, actuou repertório de Ohad Naharin, Sharon Eyal e Yasmeen Godder e estreou a sua própria coreografia em vários programas Batsheva Dancers Create.  
Erez começou a ensinar Gaga em 2003 e deu aulas em Israel e por todo o mundo. Actualmente, é bailarino e criador independente, assim como terapeuta certificado no método Ilan Lev.  
 
>> Francisco Pinho  
Nasceu no Porto em 1994. Frequentou o curso vocacional de dança no Ginasiano Escola de Dança, ingressando de seguida na ArtEZ Dansacademie em Arnhem. Lá trabalhou com vários coreógrafos e estagiou com Krisztina de Chatel. Em Portugal, trabalhou em diversos projetos com Luísa Saraiva, Kale Companhia de Dança, Joana von Mayer Trindade e Hugo Calhim. Co-criador dos espectáculos "Nem a Própria Ruína" e "Só Que Não" em colaboração com Dinis Duarte e João Dinis Pinho.  
Frequenta o Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial, em Aveiro.  
 
>> Isabel Galriça  
Desde cedo demonstrou o gosto pela dança, tendo iniciado o seu percurso aos 3 anos de idade.  
Solista da Companhia Nacional de Bailado (CNB) desde 1994, trabalhou com inúmeros coreógrafos nacionais e internacionais como Anne Teresa Keesmecker, Natcho Duato, Marco Guadalupe, Rui Lopes Graça, Paulo Ribeiro, Olga Roriz, Hans Van Manen, William Forsythe, Mauro Bigonzetti, Akram Khan. Integrou a tournée internacional da Companhia Anne Teresa Keesmecker. Em 2012, começou a estudar Pilates e em 2013, começou a lecionar com o objetivo de melhorar a elasticidade e força do corpo, de forma controlada e tendo em atenção as características individuais de cada aluno. Atualmente dá aulas na New Music School, Escola de Dança Ana Kohler (EDAK) e Quórum Academia e Quórum Ballet. Da sua formação destaca, o curso em Dança na Escola de Dança do Conservatório Nacional e formação com Rosella Hightower.  
  
>> Mafalda Deville  
Nasceu em 1976. Formada pela Escola de Dança Contemporânea The Place, em Londres, em Dança Contemporânea e Coreografia (1998). Desenvolveu diversos projectos em colaboração com Israel Pimenta, José Valente e para a Companhia Instável. Colaborou como coreógrafa com diversas instituições e encenadores nacionais e internacionais como Tiago Rodrigues / Mundo Perfeito, Companhia Instável, Nuno Cardoso/ Ao Cabo Teatro, Ópera lírica de Chicago; JV2, Shoreditch Dance Company, RAD, projeto Trinity Laban-CAT, Royal Opera House e Sadlers Wells Theatre, Londres e Occupy Theatre em Stralsund.  
É diretora artística da Opuntia Dance, com o artista visual Israel Pimenta, do programa Oficina ZERO e da CDI Workshop (Porto). Trabalha como bailarina, diretora de ensaios e diretora do projeto educacional da Jasmin Vardimon Company, há mais de 12 anos.  
Foi Professora na Universidade Royal Holloway de 2009 a 2017, na Pós-Graduação em Teatro Físico para Bailarinos e Atores.  
Frequenta o Mestrado em Coreografia, COMMA, nas Universidades Fontys e Codarts, nos Países Baixos.  
 
>> Margarida Belo Costa  
Natural de Caldas da Rainha, iniciou o seu percurso na Escola Vocacional de Dança das Caldas da Rainha. É Licenciada pela Escola Superior de Dança-IPL, e especialista em Ensino da Dança ESD-IPL.  
Como freelancer tem desenvolvido, em simultâneo, o seu trabalho enquanto intérprete, coreógrafa e professora de dança.  
Como intérprete destaca a colaboração com as companhias: Quorum Ballet, Teatro Mosca, Teatro Meridional, Companhia de Dança de Évora, Companhia de Dança de Almada, Teatro Nacional São Carlos - OPART e Companhia Paulo Ribeiro.  
Como criadora, tem apresentado as suas obras desde 2012, como projetos independentes, colaborações e a convite de várias entidades, destacando: “displaced episodes” BOX NOVA - Centro Cultural de Belém (2015), "Promise" para a Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo (2018); “P.s. Carmen” para a Companhia de Dança de Almada (2018), "Our Last View" Ravenna, Itália (2019), e “Faustless” Festival NANT - Teatro Viriato, Viseu (2020).  
Professora em várias escolas de dança em Lisboa é convidada a leccionar nacionalmente e internacionalmente - formações, cursos, workshops e masterclasses, destacando: Escola Superior de Dança- IPL; Estúdios Victor Córdon - CNB; CAB - Centro Coreográfico Lisboa; Formação Olga Roriz, FOR - Dance Theatre; PLATE-FORME AWA -Luxemburgo.  
Como coreógrafa, integra dois novos projetos - “EIRAS” uma produção do Centro Cultural e Congressos das Caldas da Rainha e “RENOVA” uma produção Renova Art Commissions 2021.  
 
>> Maria Antunes  
Natural de Lisboa. Iniciou o seu percurso nas danças urbanas e, mais tarde, na dança contemporânea. É Licenciada em Dança pela Escola Superior de Dança (2013/16). Concluiu o curso FOR modular da Companhia Olga Roriz (2017/18).  
Desde 2014, é intérprete/cocriadora no colectivo ORCHIDACEAE, sob a direção artística de Piny.  
Interpreta “BROTHER” de Marco da Silva Ferreira; “PERIFÉRICO” de Piny/VHILS; “SACRED GEOMETRY - A meditative state” e “F” de Piny.  
Desde 2018, é performer no projecto OMIRI, com o artista musical Vasco Ribeiro Casais, com coreografia de Filipa Peraltinha.  
Foi coreógrafa convidada no programa "Coreógrafos e Compositores" 2019, uma parceria entre EVC, ESD e ESML, sob a coordenação de Victor Hugo Pontes e Luís Tinoco.  
Criou e interpretou os solos "REDOR" (2019), “solobox” (2018), “seed” (2018), “FOUR” (2017), “DESTINATIONS” (2016).  
Actualmente é professora de Dança Contemporânea e House Dance, em Lisboa.  
 
>>Ricardo Silva
Rickyboom é natural de Albufeira/Algarve tendo emigrado para Londres de 2011 a 2020 onde se encontrou na cultura House Dance onde participou em inúmeras formaçōes de Street Dance e competiçōes de House Dance. Por três anos consecutivos participou numa das maiores competiçōes de Street Dance na categoria de House Dance, Just Debout 2017(UK) , 2018(UK) e 2019(ES), entre outras competições a nível nacional e internacional. Da dança para a música, Ricardo teve a necessidade de explorar mais sobre a música House e entre amigos criou o seu próprio evento de House Dance em Londres, “Empire House Family” Est. 2014 , de entrada gratuita com o intuito de partilhar, desenvolvimento do estilo e conhecimento sobre a cultura dentro e fora do club. 

>> Roberto Mendes  
Nasceu em Guimarães. Tem o curso profissional de teatro do Balleteatro Escola Profissional. É membro dos Momentum Crew, e compete regularmente em competições internacionais. Foi interprete no espectáculo "Al mada nada" de Ricardo Pais, "M.O.M.E.N.T.U.M" de Max Oliveira e "Impossível" de Luís de Matos.  
É formador de Breaking nacional e internacional.  
 
>> Susana Matos  
Desde 2018 que leciona na Escola Superior de Dança a disciplina prática de Técnica de Dança Clássica e a disciplina teórica de Práticas Educativas de Técnica de Dança Clássica.  
Frequenta o Mestrado em Ensino de Dança da Escola Superior de Dança desde outubro de 2019.  
Iniciou os estudos em Dança aos 6 anos com a Professora Vera Varella Cid. Frequentou o Curso de Formação de Profissionais de Dança na Fundação Calouste Gulbenkian e a Escola de Dança do Conservatório Nacional.  
Bailarina na CNB - Companhia Nacional de Bailado desde 1992, onde tem participado em todo o repertório Clássico, Neoclássico e Contemporâneo.  
Licenciada pela Escola Superior de Dança de Lisboa no Ramo de Educação, com formação complementar em Ballet Teaching Studies (CBTS - Royal Academy of Dance, Londres).  
Tem ao longo dos anos lecionado Técnica de Dança Clássica, Repertório e Pontas em diversas escolas e academias de dança.  
 
>> Victor Hugo Pontes  
Victor Hugo Pontes (Guimarães, 1978) é licenciado em Artes Plásticas – Pintura (FBAUP). Frequentou a Norwich School of Art & Design, em Inglaterra. Concluiu os cursos profissionais de Teatro do Balleteatro Escola Profissional e do Teatro Universitário do Porto, bem como o curso de Pesquisa e Criação Coreográfica do Fórum Dança. Fez o curso de Encenação de Teatro na Fundação Calouste Gulbenkian, dirigido pela companhia inglesa Third Angel, e o curso do Projet Thierry Salmon – La Nouvelle École des Maîtres, dirigido por Pippo Delbono, na Bélgica e em Itália. Como criador, a sua carreira inicia-se em 2003, com Puzzle. Desde então, vem consolidando a sua marca coreográfica, tendo apresentado o seu trabalho por todo o país e internacionalmente. Mais recentemente, as peças A Ballet Story (2012) e Margem (2018) foram distinguidas, respetivamente, como Espetáculo de Dança do Ano (Público e Expresso) e Melhor Coreografia (Prémios SPA). Integrou o programa DanceWeb 2017, do Festival ImPulsTanz (Viena), como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, onde trabalhou com Jan Fabre, David Zambrano, Doris Uhlich, Benôit Lachambre, entre outros.  
Victor Hugo Pontes é, desde 2009, o diretor artístico da Nome Próprio – Associação Cultural.


MODALIDADES  
>> Estágio - Grupos (c/ Laboratório Criativo) // 90€  
>> Estágio (grupos) - só manhã // 50€  
>> Iniciação Contemporânea para adultos // 20€  
>> Gaga Dancers // 130€  
>> Atelier de Criação // 90€  
>> Gaga Dancers + Atelier de Criação // 190€  
>> Estágio (grupos) + Gaga Dancers // 200€  
 

DESCONTOS 20%  
>> Todas as inscrições até 11 de Julho  
>> Escolas de Dança de Aveiro  
>> Pessoas Residentes e/ou naturais do concelho de Aveiro  
>> Escola Superior de Dança  
 

INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES  
>> Através do email agenio@cm-aveiro.pt  
>> Bilheteira física no edifício Atlas Aveiro, de segunda a sexta das 14h às 18h  
 
As inscrições só estão válidas após pagamento por transferência (envio de comprovativo obrigatório) ou na bilheteira.
Os eventos publicados estão sujeitos a adiamento ou cancelamento devido ao surto de Coronavírus. Recomendamos que confirme toda a informação junto do promotor oficial deste evento. Por favor contacte-nos se detectar que existe alguma informação incorrecta.
Download App iOS
Viral Agenda App
Download App Android